Portal da USP Portal da USP Portal da USP

"O próspero caminho do interior - Economia e escravos em Sorocaba, Itu e Campinas - 1770-1830"

Nêilor Felipe Bastos

Resumo


Este artigo pretende compreender os fatores que levaram à mudança do perfil econômico da capitania/província de São Paulo a partir de meados do século XVIII, entender o surgimento das vilas de Itu, Campinas e Sorocaba e a mudança de seus aspectos demográfico e econômico no contexto das alterações pelas quais passa São Paulo no período em questão e, por fim, enxergar estas mudanças com foco na evolução da população escrava das citadas vilas, com base na análise das listas nominativas (documentos censitários) de Itu de 1773, 1801 e 1830, comparando os resultados com as análises de alguns estudiosos sobre Campinas e Sorocaba. Após a contagem da população total e do número de escravos, foram feitos quadros para se comparar a quantidade de escravos em relação à população, bem como gráficos para análise do total de proprietários de escravos produtores e não produtores de açúcar. Para se atingir os objetivos mencionados, recorreu-se principalmente aos trabalhos de Carlos de Almeida Prado Bacellar, Eni de Samara Mesquita, Maria Luiza Marcílio e Paulo Eduardo Teixeira, dentre outros.


Palavras-chave


Escravos; Listas nominativas; Itu; Sorocaba; Campinas

Texto completo:

PDF

Referências


BACELLAR, C. A. P. Viver e sobreviver em uma vila colonial– Sorocaba, séculos XVIII e XIX. São Paulo: Annablume / Fapesp, 2001.

______. Os senhores da terra: família e sistema sucessório de engenho do oeste paulista, 1765-1855. Campinas: Área de Publicações CMU / Unicamp, 1997.

BADDINI, C. M. Sorocaba no império: comércio de animais e desenvolvimento urbano. São Paulo: Annablume / Fapesp, 2002.

BAENINGER, R. Região Metropolitana de Campinas: expansão e consolidação do urbano paulista. Campinas: Unicamp, Núcleo de Estudos de População. Disponível em: http://www.nepo.unicamp.br/textos/publicacoes/livros/migracao_urbanas/02pronex_11_Regiao_Metropolitana_de_Campinas.pdf. Acesso em 12/11/2013.

______; MAIA, P. B. Região de governo de Campinas. In: Textos NEPO 22. Campinas: Unicamp, Núcleo de Estudos de População, 1992. Disponível em: http://www.nepo.unicamp.br/textos/publicacoes/textos_nepo/textos_nepo_22.pdf. Acesso em 12/11/2013.

BLACKBURN, R. A construção do escravismo no Novo Mundo: 1492-1800. São Paulo: Record, 2003.

FILHO, A. T. O “milagre da onipotência” e a dispersão dos vadios: política urbanizadora e civilizadora em São Paulo na administração do morgado de Mateus (1765-1775). Estudos Ibero-Americanos PUCRS, 31(1):145-165, Porto Alegre, junho 2005. Disponível em http://revistaseletronicas.pucrs.br/iberoamericana/ojs/index.php/iberoamericana/article/ view/1330/1035. Acesso em 02/09/2015.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produto Interno Bruto dos municípios 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2010/ default.shtm. Acesso em 12/11/2013.

KLEIN, H. S.; LUNA, F. V. Evolução da Sociedade e Economia Escravista de São Paulo, de 1750 a 1850. Tradução: Laura Teixeira Motta. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: 2005.

LOPES, L. S. Saldos e sobras: finanças públicas municipais na primeira metade do oitocentos – província de São Paulo, 1834-1850. São Paulo: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. Disponível em http://www.fea.usp.br/feaecon/media/fck/File/ArtigoHeC2405.docx. Acesso em 12/11/2013.

MARCÍLIO, M. L. Crescimento demográfico e evolução agrária paulista – 1700-1836. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000.

SAMARA, E. M. Lavoura canavieira, trabalho livre e cotidiano – Itu, 1780-1830. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

SEADE – Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Onde a indústria se fortalece no estado de São Paulo 1.ª Análise Seade, 1, São Paulo, abril 2013. Disponível em: https://www.seade.gov.br/pdfs/primeira_analise/Primeira_Analise_n1_abril_2013.pdf. Acesso em 12/11/2013.

STEIN, S. J. Grandeza e decadência do café no Vale do Paraíba – com referência especial ao Município de Vassouras. São Paulo: Brasiliense, 1961

TEIXEIRA, P. E. O processo migratório na formação de Campinas: 1765-1830. Revista Brasileira de Estudos de População, 19(1):75-93, Campinas, jan./jun. 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2318-8855.v3i3p9-34

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.