Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Evolução sedimentar miocênica nos estados do Pará e Maranhão

Dilce de Fátima Rossetti

Resumo


Depósitos miocênicos, designados litoestratigraficamente de formações Pirabas e Barreiras, acham-se bem expostos no nordeste do Pará e litoral do Maranhão, onde são representados por uma variedade de fácies carbonáticas a siliciclásticas. A grande maioria das fácies carbonáticas e mistas carbonático-siliciclásticas teve sua origem em ambiente variando entre marinho transicional a plataformal. Estes depósitos acham-se internamente organizados em três sucessões estratigráficas definidas por superfícies de descontinuidade mapeáveis em escala regional. A análise destas superfícies, combinada com as características faciológicas e seus padrões estratais, sugere formação em sistemas de vales estuarinos incisos, com deposição descontínua devido à influência de episódios múltiplos de variação do nível do mar de alta freqüência superpostos a uma tendência geral transgressiva a mar alto. O estabelecimento e a evolução deste sistema de paleovales estuarinos ocorreram após um intervalo de aproximadamente 40 milhões de anos de não deposição e/ou erosão e foram, mais provavelmente, resultantes da combinação de fatores eustáticos com reativações tectônicas. A forma de abordagem empregada nos estudos dos estratos miocênicos expostos nos estados do Pará e Maranhão, integrando análise faciológica, arquitetura estratal, mapeamento de superfícies estratigráficas chaves e icnologia, pode servir para orientar estudos futuros enfocando depósitos similares em outras áreas do território nacional.

Palavras-chave


Mioceno;Norte do Brasil;estratigrafia;paleoambientes

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/S1519-874X2006000300003

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




SCImago Journal & Country Rank